Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

20.02.23

Custo de Vida: Quem Ainda Tem Mealheiro?


Filipe Vaz Correia

 

 

A318BAB8-01B7-437A-B4AB-DDA61F4AD606.jpeg

 


Ir ao supermercado tornou-se numa aventura, engenharia financeira se preferirem, capaz de nos levar para os livros de Harry Potter...

Sinceramente, quando neste Domingo cheguei à caixa do supermercado fiquei incrédulo com o valor da conta a pagar.

Inacreditável...

E acreditem que sou aquela pessoa que olha para descontos, está atento a promoções, que vai somando as parcelas para ter uma ideia do valor a pagar.

Os dígitos vão se encavalitando, a soma quase pornográfica vai se estabelecendo e depois sobram os zeros para nos assustar...

Juro que o rapaz da caixa, cliente após cliente, quase que cora quando vai disparando as dezenas ou centenas de euros que nos pede.

Olhei atentamente para a factura, que nos dá fictícios descontos de poupança, e cheguei a uma singela conclusão:

Os preços após os descontos, serão os preços sem desconto de há dois ou três meses...

Exactamente isto.

O nível de custo de vida subiu desmesuradamente e isso  é uma questão me encanita...

Como sobrevive o Português médio, aquele que recebe mil e poucos euros, que tem de pagar a casa, a luz, a água e o gás, a roupa e a comida dos miúdos e os famigerados impostos?

Como consegue uma pessoa armazenar dinheiro para as 5 rendas de entrada que alguns senhorios pedem?

Olhando para este retrato não me parece difícil ver uma crescente revolta entre os comuns cidadãos que se sentem cada dia mais encurralados.

Neste fim de semana, depois de um repasto muito agradável com um casal amigo, num restaurante onde vou todas as semanas, conversei com o responsável desse lugar que me expressou a diminuição de frequência no seu estabelecimento, uma queda que no seu olhar se reflectia num misto de preocupação e receio...

Jantar ou almoçar fora?

Está difícil sequer ir ao supermercado.

Por isso pergunto?

Quem ainda tem intacto o seu mealheiro?

PS. Li atentamente, como habitualmente faço, a crónica do nosso mui querido O Último Fecha a Porta e só vem corroborar esta minha ideia de que caminhamos rapidamente para uma escalada de preços absolutamente inenarrável e com proporções desmedidas.

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

19.02.23

Férias caras


O ultimo fecha a porta

Capturar.PNG

Esta notícia é para rir. Os empresários do turismo a praticar preços mínimos de 100 €/noite preocupados com a diminuição do poder de compra dos portugueses?

Os preços praticados levam ao cúmulo de ser mais barato gozar férias no estrangeiro do que no nosso próprio país devido aos preços absurdos praticados (fora refeições, deslocações, etc).

 

Os nossos hoteleiros estão a entrar numa loucura de preços que só se torna acessível aos estrangeiros e para aquele que têm poder de compra.

 

Em Janeiro, estive a marcar alguns dias em Portugal para Setembro e com ... 9 meses de antecedência... já foi difícil encontrar pechinchas. A solução foi fugir dos sítios da "moda", optar por hotéis fora das grandes cadeias, reservar direto nos respectivos sites, escolher bem os dias da semana e não incluir o pequeno almoço.

 

E mesmo assim ...

17.02.23

A idade da razão


JB


  Aparentemente a loucura não é completa.

  No Tennessee pelo menos, nos Estados Unidos da América as coisas estão lentamente a melhorar. 
  Estou a falar da 'youth gender bill' uma lei que vai ser aprovada e que diz basicamente que crianças com menos de 18 anos não podem fazer cirurgias de mudança de sexo. Até há pouco tempo esse limite era os 16 (!) anos. É muito estranho para mim estar a defender os conservadores Norte Americanos mas neste caso muito específico parece-me que estão carregados de razão.

Esta moda de 'o sexo não existe e cada um é aquilo que sente que é' é disparatada e pelo menos eu não alinho nisso. Tento não ser retrógrado, ter a mente aberta e ser empático mas isso não me faz ignorar a realidade.

 Numa altura em que Nicola Sturgeon a primeira ministra da Escócia se demite logo a seguir ao escândalo de Adam Graham. Adam Graham era um homem que foi acusado e condenado por violar duas mulheres. Durante o julgamento Adam apercebeu-se que na realidade era uma mulher, mudou o nome para Isla Bryson, uma mulher trans, passou a usar vestido e peruca e apresentou-se no tribunal. O Juiz passou a tratá-la por Sra. Bryson porque se não o fizesse era considerado um homofóbico xenofobo que teria de ser cancelado imediatamente. Pelo mesmo motivo ninguém pôs em causa esta mudança de género porque isso seria praticamente fascismo. Como resultado a Sra. Bryson foi condenada pelos crimes de violação e foi mandada para a prisão. 
Bem como Andrew Burns, um criminoso que foi condenado por agredir uma menina de 10 anos e de filmar outra de 12 secretamente numa casa de banho de um supermercado. Agora chama-se Tiffany Scott e assim como a "Sra." Bryson foi condenada e mandada para a prisão.

 Ambas as senhoras foram para prisões femininas, naturalmente, para ninguém ficar ofendido. 

Ambos os casos estão a dar problemas com recuos e avanços da justiça e uma intervenção desastrosa de Nicola Sturgeon em que baralhava o género dos envolvidos alternando entre Sra. Bryson, indivíduo, ele, ela e uma série de gaffes semelhantes; o que pode muito bem ter sido gota de água final que a levou à demissão.

Já para não falar nos atletas transgénero, maioritariamente que transitam de homem para mulher, e que andam a quebrar os recordes desportivos e um sucesso que nunca tinham alcançado no seu género original.

Pois bem, voltando ao Tennessee e a esta complicada situação em que me encontro ao ter de concordar com os conservadores Norte Americanos:

 -O cérebro humano só está completamente desenvolvido aos 25 anos, um cidadão americano só pode beber álcool aos 21 anos, mas fazer uma operação com consequências irreversíveis podia ser aos 16 anos!!! Não faz sentido nenhum.

 

 Não escolhemos a nossa altura, não escolhemos a cor dos olhos nem dos cabelos, não escolhemos o ano em que nascemos, nem podemos escolher o nosso sexo. 

Não cedo à chantagem emocional das elevadas taxas de suicidio de pessoas com problemas de identificação de género, a taxa de suicidio da comunidade transsexual sempre foi muito alta e os dados demonstram que o facto de fazer ou não a operação de mudança de género não tem influência positiva nesse ratio.  

Correndo o risco de ser insultado de tudo e mais alguma coisa, e depois de muito ler e pensar sobre o assunto,  continuo a pensar que não é possível escapar-se ao sexo com que se nasceu, nem ao ano. Acho que cada pessoa no seu dia a dia deve fazer o possível para que os outros se sintam bem, mesmo que isso implique uma mentira piedosa (tratar alguém por 'ela' em vez de 'ele' se a pessoa preferir; dizer a uma pessoa que fez uma operação plástica que parece mais nova etc). Mas o Estado não pode ir nessa conversa senão acabaram-se os desportos femininos e masculinos, as prisões e  as casas de banho. Até a arte os os actores estão em perigo!

 Bem sei o medo que há de falar neste tema e como é muito mais fácil 'lavar as mãos' e dizer que se gosta de toda a gente e que se é muito inclusivo mas alguém tem que dizer que o rei vai nu e que esta moda (moda porque pelo menos no EUA está a acontecer um aumento exponencial de jovens que se identificam com transgénero ou não binários)  é um problema psicológico e não biológico. 


JB

 

 

16.02.23

Das Pedras


The Travellight World

fullsizeoutput_72fdFoto: Travellight | Aldeia de Monsanto, Portugal

 

Ajuntei todas as pedras

que vieram sobre mim.

Levantei uma escada muito alta

e no alto subi.

Teci um tapete floreado

e no sonho me perdi.

Uma estrada,

um leito,

uma casa,

um companheiro.

Tudo de pedra.

Entre pedras

cresceu a minha poesia.

Minha vida...

— Cora Coralina —