Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

04.05.24

Devia ser assim todos os dias...


Ana D.

mai_gentileza no trânsito.jpg

Amanhã, dia 5 de maio, assinala-se o Dia Mundial do Trânsito e da Cortesia ao Volante, algo que tanto precisamos...

O objetivo deste dia é sensibilizar os condutores para a condução segura, de modo a prevenir acidentes e a proteger a sua vida e a de outros condutores ou ocupantes dos veículos. Mas para isso também precisamos que haja cortesia, gentileza e até tolerância ao volante, não só neste dia, mas em todos os dias do ano, o que infelizmente nem sempre acontece.

Estar atento, respeitar os limites de velocidade e as prioridades, sinalizar a mudança de direção, são deveres essenciais para quem conduz, mas ser cortês e gentil também deve ser. Ceder a prioridade e ter um comportamento "facilitador" é também uma mais valia no trânsito. 

São PEQUENOS gestos a favor de GRANDES resultados!

Gestos simples, que mais uma vez evidenciam o valor da Cidadania e do altruísmo, desta vez em favor da redução da sinistralidade rodoviária e do risco para os condutores, ocupantes e peões. 

A estrada é de todos e não há condutores perfeitos. Todos cometemos erros. 

Não custa nada! Se é condutor, antes de agir, respire e pense! Conduza em segurança e com segurança. Em vez de buzinar, seja tolerante. Ceda prioridade. Se fôr necessário, dê mais uma volta à rotunda, mas seja gentil e cortês. Agradeça com um simples acenar de mão ou com os quatro piscas. Faça a diferença, porque comportamento gera comportamento e os nossos dias no trânsito podem assim, ser tão melhores!

mai_dia mundial do trânsito e da cortesia ao volante.jpg

mai_diferença.jpg

03.05.24

Baby Reindeer


JB

IMG_0541.jpeg


Baby Reindeer é uma nova série da Netflix. Está a ser um êxito, cerca de 1M de pessoas viu na primeira semana, 2M na segunda e 25M na terceira. É uma série feita por um comediante chamado Richard Gadd e com um orçamento baixo para o sucesso que está a ter. Até aqui tudo bem. Já aconteceu antes e voltará a acontecer. Aquilo que torna esta série tão especial e diferente das outras é que está é a história de um comediante e da sua stalker e é completamente baseada em factos reais. O comediante faz o papel dele próprio (com o nome Donny) e passa para a televisão uma dramatização de um episódio bastante traumático da sua vida.

 Está série, para além de ser muito bem feita, sem moralismos básicos, mostra como pode ser sedutor e fazer bem ao ego ter uma stalker, como alimentar esse gosto depois pode levar a consequências indesejadas e acima de tudo que , pelo menos neste caso, a culpa não está só de um dos lados. 
 Agora a parte irónica que me levou a escrever sobre isto hoje. Uma vez que esta história é real e a série está a ter uma popularidade enorme, rapidamemte os detectives do teclado espalhados pelo mundo inteiro começaram a procurar esta stalker retratada na série. Na pesquisa de antigos filmes do comediante em causa, a vasculhar tweets antigos etc etc. rapidamente a internet identificou a alegada stalker que resolveu processar os criadores da série dizendo que agora quem estava a ser perseguida era ela e que o comediante Richard Gadd estava a persegui-la.

 Gadd já pediu aos espectadores da série para não pesquisarem mais, nem tentar identificar nenhuma das pessoas em causa (tarde demais diria eu). Diz que o objectivo da série não é nenhum ajuste de contas ou perseguir ninguém mas a internet tem vida própria e agora as consequências serão imprevisíveis.

 Podem ficar aqui com o TRAILER de uma original e excelente série que encomendo vivamente.

 

Divirtam-se!

 

JB

 

02.05.24

Exército ou reformatório?


UmAnónimo

Ainda agora começou o novo governo e já temos nova polémica. O Ministro da Defesa Nacional anunciou, no Parlamento, a hipotese de aplicar o serviço militar obrigatório como pena alternativa para jovens que cometam pequenos delitos. 

Apesar da leviandade de como esta possibilidade foi anunciada, e das inúmeras críticas, não vejo ninguém a discutir o óbvio...

É que, apesar de não concordar com a ideia, o princípio deve ser pensado maduramente. Penso que toda a gente concordará que as prisões não reformam nem regeneram ninguém. Nuno Melo tem razão quando diz que os pequenos delinquentes são enviados para escolas de crime. E portanto é preciso começar a desenhar alternativas.

Em vez de criticar, porque não pensar nesta ideia como base? Possivelmente não serão as Forças Armadas o local para isto. Mas, não haverá alternativas? Não haverá situações em que uma pena alternativa seja melhor e mais eficaz que apenas a pena de prisão?

Espero que se pense bem nesta ideia. Porque claramente, as prisões não funcionam...

 

Pág. 4/4