Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

21.08.20

Gamers


JB

"High Score", um novo documentário da Netflix saiu esta semana. Conta-nos a história dos videojogos, desde que começaram até aos dias de hoje.  Para quem gosta do tema, como é o meu caso, é muito interessante e até me deu o mote para o texto de hoje. De onde vem este fascínio por videojogos, não só meu mas de grande parte do planeta? É uma indústria que continua a crescer e das poucas que ainda terá ganho maior dimensão com a pandemia. Porque é que tanta gente acha (...)
14.08.20

Praia da Foz do Arelho


JB

 A melhor praia do mundo. Só quem desconhece discorda.  A Indonésia tem praias fantásticas, ouvi dizer que a Austrália é um mimo e as ilhas de Moçambique são duma beleza arrebatadora. O resto do mundo teria algo a dizer sobre a minha avaliação certamente, com cada país a defender as suas praias... mas lamento, não se comparam.   A Foz é a Foz.   Vindos das Caldas, Lisboa e de outras partes do país; pela estrada nova ou pela antiga, aproximamo-nos da Vila da Foz. É (...)
07.08.20

A poça e o carvão.


JB

  A analogia da poça de Douglas Adams, adaptada por mim: A noite era escura e chovia torrencialmente. As nuvens cinzentas trovejavam e apenas os relâmpagos iluminavam os céus. Em baixo a terra transformava-se em lama e os riachos em rios. A tempestade acaba. Amanhece.   O sol brilha indiferente à tempestade da noite anterior. O céu está límpido e sem nuvens à vista. No chão a terra, uma poça de àgua.   Uma poça que de repente ganha consciência. Que olha para o seu (...)
31.07.20

Aceita que dói menos


JB

  Sempre vi tudo o que era Big Brother. Desde aquele em que ganhou o então famoso Zé Maria, até este mais recente que ainda não tem vencedor anunciado.   Via com sentimento de culpa. Afinal qual era o interesse de ver uns quantos jovens, mais ou menos espertos (normalmente menos) fechados numa casa? Via, mas só falava disso com pessoas muito íntimas, não fossem os outros julgar-me.  Mais tarde, iniciei a minha formação académica em psicologia. Não sei se por vocação ou se (...)
24.07.20

Um feijão no universo


JB

    Estranha espécie a nossa.  Não há nenhuma como nós. Quando cresci, aprendi que  o ser humano era diferente dos outros por ser racional. Éramos o famoso 'animal racional' em oposição aos outros 'animais irracionais'. Fazia sentido, quando tinha 5 anos. Depois explicaram-me que éramos diferentes porque tínhamos alma. Fomos feitos à imagem de Deus e os outros animais não. Era isso que nos distinguia. Fazia sentido, quando tinha 15 anos e achava que era o centro do (...)