Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

13.06.22

Primeiro Beijo…


Filipe Vaz Correia

    Pela primeira vez; sempre primeira, para sempre inteira...   O primeiro embaraço; pequeno desenho, pequeno traço...   Um instante, senão; de um calor que então, me fazia tremer...   Queria ceder, responder; parar de estremecer, poder saber o que fazer...   Pela primeira vez; fechei os olhos e acreditei, nessa imagem que imaginei, nesse beijo que guardei...   Entreguei-me finalmente; numa travessura jovial, desejando inocentemente, esse momento intemporal...   Assim (...)
23.05.22

O Confronto Dos Meus Preconceitos


Filipe Vaz Correia

      Ontem caminhava pela Av. da República, no meu exercício diário, quando me deparei com uma cena que me deixou a pensar... Aviso de antemão que este texto contém juízos de valor e talvez algum preconceito. Quando me aproximava da Pastelaria Versailles observo um jovem com um certo ar de maltrapilho, meio palhaço pobre, sendo abordado por uma jovem Romena que agitava uma lata de moedas e um cartaz a falar dos filhos doentes e dos pais ausentes. Depois de um instante de (...)
16.05.22

SCP: Os “Pequenos”, Grandes, Passos De Um Leão…


Filipe Vaz Correia

        Acabou a época... Durante anos o "meu" Sporting viveu em turbilhão e por essa mesma razão não hesitei em rumar a Alvalade para felicitar este ano leonino. Não tenho palavras para expressar o que assisti em Alvalade, as sensações, as despedidas, o querer maior... A tristeza de não ser campeão ali estava presente mas a querença maior do nosso amor Sportinguista esteve sempre presente nos aplausos a Sarabia, no Adeus a Feddal, nas lágrimas de Daniel Bragança. Venha a (...)
09.05.22

Nova Iorque: A Selva De Pedra…


Filipe Vaz Correia

        Sempre detestei aviões, viajar por entre as nuvens nesse animal inventado pelo homem, no entanto, estranho será dizer que a viagem que voltaria a fazer, foi precisamente a mais longa que algum dia fiz... Um contra-senso? Talvez seja, no entanto, é a mais pura verdade. Sempre achei que ao entrarmos num avião arriscamos a vida, um género de fobia muito minha, o que faz com que reze constantemente durante a viagem, acreditando até que de forma irritante para (...)