Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

07.07.22

A Lua de Capri


The Travellight World

  Foto: Travellight | Capri, Itália | Escultura “Swing with the Moon”, de Giacinto Bosco   Hoje a lua despiu seu véu
 E flutua a dormir no céu
 Na canção que de mim nasceu
 Meu amado adormeceu
 Meu amado adormeceu Dorme, meu amor
 Como no céu a lua
 Tu serás sempre meu 
E eu só tua Dorme, amigo, que a poesia 
É um mistério que não tem fim Dorme em calma
 Que assim, um dia 
Dormirás para sempre em mim
 Dormirás para sempre em mim — “Canção de (...)
30.06.22

Encontro


The Travellight World

Foto: Travellight | Nara, Japão ENCONTRO Que vens contar-me se não sei ouvir senão o silêncio? Estou parado no mundo. Só sei escutar de longe antigamente ou lá para o futuro. É bem certo que existo: chegou-me a vez de escutar. Que queres que te diga se não sei nada e desaprendo? A minha paz é ignorar. Aprendo a não saber: que a ciência aprenda comigo já que não soube ensinar. O meu alimento é o silêncio do mundo que fica no alto das montanhas e não desce à cidade e sobe (...)
16.06.22

A Grande Esfinge do Egipto


The Travellight World

Foto: Travellight | A Grande Esfinge, Cairo Recém chegada de uma viagem ao Egito, não resisti a partilhar convosco esta foto e este poema maravilhoso de Fernando Pessoa.   A Grande Esfinge do Egipto sonha por este papel dentro... Escrevo — e ela aparece-me através da minha mão transparente E ao canto do papel erguem-se as pirâmides... Escrevo — perturbo-me de ver o bico da minha pena Ser o perfil do rei Cheops... De repente paro... Escureceu tudo... Caio por um abismo feito de tempo... (...)
13.06.22

Primeiro Beijo…


Filipe Vaz Correia

    Pela primeira vez; sempre primeira, para sempre inteira...   O primeiro embaraço; pequeno desenho, pequeno traço...   Um instante, senão; de um calor que então, me fazia tremer...   Queria ceder, responder; parar de estremecer, poder saber o que fazer...   Pela primeira vez; fechei os olhos e acreditei, nessa imagem que imaginei, nesse beijo que guardei...   Entreguei-me finalmente; numa travessura jovial, desejando inocentemente, esse momento intemporal...   Assim (...)
09.06.22

Povo que lavas no rio


The Travellight World

Foto: Travellight | São Tomé e Príncipe  Povo que lavas no rio Que talhas com teu machado As tábuas do meu caixão Há-de haver quem te defenda Quem compre o teu chão sagrado Mas a tua vida não Fui ter à mesa redonda Beber em malga que esconda Um beijo de mão em mão Era o vinho que me deste Água pura em fruto agreste Mas a tua vida não Aromas de urze e de lama Dormi com eles na cama Tive a mesma condição Povo, povo eu te pertenço Deste-me alturas de incenso Mas a tua vida não (...)