Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

06.03.21

Caldeirada Com Todos... “Isabel Paulos”


sardinhaSemlata

          O país Não fazia ideia o que escrever quando recebi o gentil convite do Robinson Kanes. Como o país aparenta celebrara libertação dos piores dias da pandemia - apesar de Portugal ocupar o 9º lugar quanto a óbitos por milhão de habitantes –, e os portugueses regressam ao oásis usual, pensei pintar a nação das cores que a sinto. Logo reconsiderei por não querer afugentar clientela desta generosa casa. Decidi coibir-me das habituais diatribes à recusa (...)
27.02.21

Caldeirada Com Todos... “Ana Mestre”


sardinhaSemlata

            Nunca escrevi sobre este tema , não porque esteja esquecido, mas, porque embora não o queira esquecer é demasiado doloroso para lembrar. Esta história, um bocadinho da minha história, aconteceu há muitos anos. Eu tinha 9 anos, uma criança, em toda a abragência dessa palavra. Muito ligada á mãe e ao irmão. O pai era a figura paternal e a figura de autoridade, nunca precisou bater-me ou gritar comigo, abria os olhos e eu já não sabia onde me meter.  Recordo-m (...)
20.02.21

Caldeirada Com Todos... “Rute Justino”


sardinhaSemlata

          A Liberdade que ainda não temos! Só damos importância e valor aquilo que não temos, não é certo? Alguém alguma vez deu valor à liberdade? Foi preciso aparecer um vírus e haver recolher obrigatário para darmos valor a uma coisa que tínhamos dada como garantida. E que tal com este confinamento aprendermos a dar valor aos pequenos "grandes" detalhes? E que tal darmos valor ao ar que respiramos? E que tal darmos valor ao paladar, ao tacto, à visão? E que tal (...)
13.02.21

Caldeirada Com Todos... “Mariana Almorninho”


sardinhaSemlata

        Aceitei o desafio que me foi lançado pelo Filipe Vaz Correia com muita simpatia e amizade depois de tantos anos a acompanhar o caneca de letras e agora o sardinhas em lata. Apesar de não ter o dom da escrita, o mesmo dom que caracteriza os elementos deste blog, ganhei coragem e optei por recorrer a um grande poeta para traduzir algumas palavras e sentimentos neste espaço.   "Todas as cartas de amor são ridículas" (Álvaro de Campos)   Todas as cartas de amor são ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem ridículas.