Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

17.08.21

A Terra em Colapso e só Queremos Repetir os Erros.


Robinson Kanes

incendios.jpg

Imagem: Robinson Kanes

 

Para um homem que acaba de destruir , talvez seja normal procurar restabelecer o equilíbrio criando alguma coisa.

John Steinbeck, in "O Inverno do Nosso Descontentamento"

 

 

Confesso que, quando escuto a conversa do "finalmente vamos voltar ao que era", dou comigo a pensar se não somos uma espécie de vitimas de cegueira dignas da obra de Saramago. Na verdade, penso em como é que com o mundo a arder (ou debaixo de água), ainda conseguimos pensar ou idealizar o futuro dessa forma. Reconheço que talvez confraternize com as pessoas erradas, mas sempre que estou por Portugal esse sentimento ainda é maior, como se qualquer crise não passasse por esta nobre nação -  logo por cá onde a capacidade de reagir às crises é menor. Um exemplo? Não temos onde cair mortos, como diz o povo, mas o mercado imobiliário dispara como nunca. Somos, alegadamente, tão poucos e tão pobres mas vivemos como ricos, dá que pensar.

 

Na verdade, o Mundo está a enfrentar uma calamidade que parece não estar ao alcance da vista do cidadão comum! Será que é preciso um continente afundar-se para percebermos o que se está a passar? Até consigo entender que os incêndios no Mediterrâneo são práticas terroristas, como o que se passa em Portugal todos os anos, mas também acontece porque as condições climatérias são propícias a. Nunca entendi porque é que o crime de fogo posto não é considerado terrorismo, até porque, não raras vezes, é alguém que paga a outrem para o fazer - alguém muito poderoso e com interesses que nem sempre são apenas económicos.

 

Todavia, não podemos ficar parados quando algo deste calibre está a acontecer - o Mediterrâneo arde, a Amazónia arde (lembram-se de eu ter escrito que a história da Amazónia era hype e alicerçada, na época por um combate mediático a Bolsonaro? Já ninguém fala disso, os likes não compensam o investimento), os Estados Unidos ardem, o Canadá arde (o Canadá???) e a Sibéria arde todos os anos durante meses a fio... A Sibéria não é aquele território russo que? Aliás, todo o Ártico não é sinónimo de gelo? É! Ou melhor, era... E desde que se descobriu que sem gelo se pode ganhar muito dinheiro com a coisa, nada como deixar arder. O Mundo visto do espaço, por estes dias assemelhou-se a um daqueles filmes apocalipticos de Hollywood - este vídeo de Stavros Demirtzoglou, em que regista  um evacuamento por via marítima diz tudo! Não obstante, também vamos tendo orgasmos com aqueles filmes idiotas de Hollywood com o mundo a dar mais importância a indivíduos desiquilibrados e alguns com ambições que nos deveriam fazer pensar se lhes devemos dar assim tanto crédito pelo positiva. Na verdade, muitos deles estão mais preocupados com um estranho desejo de imortalidade e de fuga ao caos, de preferência fora da Terra do que propriamente em descobrir os segredos das estrelas. Além disso, é puro marketing (e aí nada contra) cujo retorno virá em breve, não falta gente disposta a pagar - nesse campo não alinho na critica dos que dizem que estes indivíduos investem milhões para nada. Mas com tantas preocupações ambientais, já alguém parou para pensar quanto custa ao ambiente cada voo daqueles? Mas é fixe e tem hashtags, que se lixe a Terra!

 

África está a arder como nunca, e não é só a Argélia, até a África verde, a das selvas impenetráveis já arde! Zambia, Angola, Malawi e Madagáscar sem esquecer a República Democrática do Congo estão em chamas - não se fala, afinal é África. Ardem a Austrália e a China (ainda não conseguem despitar os satélites da NASA), a Malásia e o número de países poderia continuar a crescer e nós preocupados em voltar ao normal ou a debitar o conceito de sustentabilidade completamente vazio de conteúdo e ação. De facto, somos tentados a pensar, mesmo indivíduos como eu que não embarcam em teorias da conspiração, embora assuma que escuto toda a gente, se tudo o que se tem passado em termos de pandemia não é o tal restart que muitos dizem estar a materializar-se, porque afinal, somos uns verdadeiros idiotas que só aprendemos à chapada. Que tem servido de terreno para totalitarismos e demonstrações de controlo, não tenhamos dúvidas, isso são factos mais do que concretos. Regressando ao foco deste artigo, destaco este mapa: representa o dia 12 de Agosto de 2021 às 12h:26m GMT e as 24 horas que o antecederam (Fonte: FIRMS - NASA).

fire_map.jpg

Será que preferimos continuar indiferentes a isto? O pouco verde que ainda temos vai desaparecer e nem a Gronelândia escapa, pois no mapa é visível o degelo - se compararmos com anos anteriores, o choque será maior... E mesmo assim, lá está um pontinho vermelho! Será que milhares de pessoas a serem evacuadas por mar, dado que por terra e ar já é impossível, não nos fazem pensar que... Não é fácil mudar a mentalidade de uma pessoa, fará de millhões, mas porque é que se conseguimos viralizar as maiores idiotices do mundo, sobretudo em televisão, notícias e redes sociais, não conseguimos viralizar a tomada de ação, quanto mais não seja a nível local - e poupem-nos a indivíduos alemães "amigos do ambiente" que decidiram dedicar a vida a apanhar beatas e plástico das praias... É fancy, e sobretudo em Portugal ainda mais, até porque sendo estrangeiro (e branco) a coisa é outra, mas não muda nada, a não ser a conta bancária dos próprios. Isso parece ser mais importante do que dedicarmos uns minutos ou páginas de antena a factos e a realidades bem mais sérias. Até o "how dare you" alicerçado no estereótipo da criancinha responsável com síndrome de asperger  (e milhões) já perdeu tracção...

 

Enquanto os salmões nos Estados Unidos apresentam sérias queimaduras (sim, os salmões) devido às altas temperaturas, o Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) descobriu a pólvora e finalmente assumiu que o aquecimento global como o conhecemos é obra humana (antes era utilizado o "muito provavelmente) e ainda que as temperaturas não cessarão de aumentar, pelo menos até meados do século façamos o que fizermos! A meta do 1,5ºC já era e é muito provável que cheguemos aos 2ºC de aumento médio da temperatura global, isto se tomarmos medidas imediatas o que, convenhamos, não me parece que venha a suceder.

 

Outra la palissada é a conclusão de que os fenómenos climáticos começam a ser cada vez mais extremos... Todavia, a imagem de esperança mais uma vez existe, mais uma década para pelo menos mitigar alguns destes factos, no entanto, muitas décadas já nos mostraram que as coisas não vão mudar desta forma a não ser que cada um faça o seu papel.

 

1,5ºC ou até 2ºC podem parecer pouco, mas a título de exemplo, o primeiro é suficiente para fazer desaparecer da Terra mais 4% dos habitats dos mamíferos e o segundo 8%. Se formos aos 4,5%, um dos worst case scenarios, a percentagem aumenta para 41%! Pouca coisa, de facto, afinal as prioridades parecem andar pela imposição de ideologias sexuais e raciais e agora a nova trend que é colocar uma estrela de David amarela naqueles que não querem tomar a vacina contra a Covid ou simplesmente levantam dúvidas em relação à mesma. Quando a polícia já invade restaurantes e exige um sem número de certificados de cidadania, quando se utilizam pseudo-celebridades para incentivar ao corte de relações com amigos que não querem ser vacinados e por aí adiante, está tudo dito (uma nota: estou vacinado e não sou negacionista, racista, homofóbico ou fascista, mas nem sempre digo sim, o que, no fundo, parece ser, o rótulo para qualquer pessoa que hoje em dia ouse dizer não). Está na altura de fazermos algo e deixarmos os tristes hypes como se fosse necessário uma pseudo-celebridade vir-nos dizer (porque foi paga para isso) que temos de fazer alguma coisa... Até porque se seguirmos esse caminho, o mais alguma coisa esgota-se até a própria fechar mais um contrato com outro hype.

____________________________________________________________________

Alerta LinkedIn: a partilha de palavras e actos motivadores, muitos deles totalmente descabidos, além de extremamente forçados. O pior? Ainda existe quem acredite que aquilo é só boa vontade, mesmo quando é cópia da cópia da cópia da cópia. Com tanta gente boa e motivada neste mundo, não deveria ser fácil encontrar bons profissionais? Muita santola sem conteúdo...

Para quem quiser ouvir: um branco do Dão, uma vista magnifica de toda a planicie e serra que envolve o Parque Natural da Serra da Estrela. A escutar para acompanhar esse fim de tarde: Ornella Vanoni e "L'Appuntamento". Um clássico que cai sempre bem com uma boa vista e com as viagens a Itália.

Para quem quiser ler: um dos melhores que se lê por Espanha nasceu em Olivenza. Falo de Jesús Carrasco e de uma obra-prima daquelas... "llévame a Casa". Um livro para não acomodados, para quem não gosta das prisões do conforto do paternalismo e da dependência em todos os níveis da vida.

Para quem quiser comer e beber: Já que falei da Póvoa Velha, não posso deixar passar o bom gosto e a vista espectacular do Alpha Tauri. Inserido no Monte Santo Estevão, nunca lá dormi, mas tento sempre voltar para um início de noite com boa comida onde destaco o Javali e o Veado. Boa cozinha, a preços acessíveis mas bem requintada e saborosa. Por ali, podemos ficar até fechar a contemplar um autêntico luxo paisagístico enquanto deitamos abaixo uma garrafa do monocasta Casa Albuquerque Encruzado 2018 Branco. Fresco, com alma do Dão e leve, para beber em boa companhia.

Para quem quiser assistir: A partir de dia 18 de Agosto, o Festival Internacional de Teatro de Setúbal não desilude!

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.