Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

11.03.22

As mulheres (perspectiva de um homem)


JB


 Esta semana celebrou-se o dia da mulher. Pode dar-se mais ou menos importância à efeméride mas ainda assim ela foi celebrada com manifestações pelo mundo inteiro. Pois aqui ficam os meus parabéns atrasados a todas as mulheres pelo seu dia, de presente deixo uma humilde reflexão.

 Dei por mim a pensar nas diferentes mulheres do mundo, do quão diferente estava a ser para cada uma delas este dia. As mulheres Ucranianas por exemplo, pensei nelas mais do que nas outras, naquela menina chamada Amélia que cantou a música "let it go" num bunker para animar o resto das pessoas veja aqui; penso em todas as que vão lutar para defender o seu país e até naquela avó que ameaçou de morte um soldado invasor Russo enquanto o olhava nos olhos. Essas mais do que todas as outras estão de parabéns. A guerra, no entanto não é uma ameaça exclusiva para as mulheres, é algo que ameaça todos por igual, possivelmente. Até com mais riscos para os homens que são quem compõe a maioria das linhas da frente. Ameaças predominantemente ao sexo feminino teriam que ser coisas como a violência doméstica por exemplo em todas as suas formas. 
  Bem sei que  não é um exclusivo das mulheres ser vítima deste crime mas são quem mais sofre com ele, uma vez que na maioria dos casos o agressor é quem tem mais força e costuma ser homem.  Muito já foi escrito e digo sobre este tema, não sinto que tenha nada a acrescentar a não ser condenar de forma vigorosa.

  Mais polémico seria eu falar numa outra ameaça, e esta é 100% uma ameaça ao género feminino. Os homens nem são para aqui chamados, mas como eu tenho a mania de me meter onde não sou chamado vou falar nela à mesma.

 O nome desta ameaça é: 

 Lia Thomas

Ela é uma nadadora profissional transgénero que anda bater todos os records nas competições de natação e se prepara para neste próximo dia 16 de março concorrer ao Campeonato Nacional de natação e mergulho dos Estados Unidos que se vai realizar em Atalanta (NCAA Women’s Division I Swimming and Diving Championships), neste momento e segundo as apostas é a principal favorita a ganhar os eventos 'freestyle de 100, 200 e 500 yards'. É considerada neste momento uma das atletas mais polémicas dos EUA e as razões parecem-me óbvias. Muitos alegam que é injusto uma vez que esta atleta nasceu com corpo de homem e tem uma envergadura e musculatura que não está ao alcance do físico da esmagadora maioria das  mulheres. Outros acham que este é o caminho do futuro e um fenómeno com tendência a aumentar. 

Eu tendo a concordar com os primeiros, os que dizem que isto não faz sentido. A Lia Thomas deveria concorrer numa outra categoria, eventualmente criar-se uma terceira categoria de atletas transgénero. No meu caso, mais do que pela justiça ou injustiça é por uma questão de verdade. Não podemos decidir a nossa idade, a cor do nosso cabelo ou dos olhos e não podemos decidir o nosso sexo. Não há volta a dar a este facto, pelo menos não creio que me convençam disso. Bem sei que podemos por botox, lentes de contacto coloridas e pintar o cabelo mas a verdade não muda. Não adianta fingir que sim senão acabamos por redundar em situações absurdas como esta que agora se passa nos Estados Unidos.

Espero não melindrar ninguém com a minha perspectiva, sei que possivelmente não é politicamente correcta mas é aquilo que penso realmente. 
Cá estarei  nos comentários para justificar a minha opinião.

Parabéns a todas as mulheres tanto as que o são realmente, como às que não são mas que se sentem como tal.

 

JB

 

13 comentários

Comentar post