Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

11.08.22

Crescer


The Travellight World

fullsizeoutput_6d6cFoto: Travellight | Zanzibar, Tanzânia

Hoje partilho convosco um poema de Carlos Drummond de Andrade sobre crescer, de que gosto muito, e uma foto tirada numa das praias de Zanzibar, na Tanzânia, que retrata o “adumu”, também conhecido como “dança do salto” — um ritual de crescimento.

A maioria dos turistas desconhece o verdadeiro significado desta dança já que os membros da tribo costumam apresentar uma versão fora de contexto para os visitantes, mas para o povo Maasai, o “adumu” é um dos vários ritos que compõem o “eunoto” — o evento em que os morani, ou guerreiros mais jovens, avançam para a idade adulta.

Para provar a sua força e maturidade, os jovens homens Massai tem de saltar no ar no decorrer de uma dança tradicional. Quanto mais alto for o salto, mais forte e adulto é considerado o rapaz e, sem dúvida, mais respeito, admiração e atenção conquista das mulheres.

 

Verbo Ser
 
Que vai ser quando crescer?
Vivem perguntando em redor. Que é ser?
É ter um corpo, um jeito, um nome?
Tenho os três. E sou?

Tenho de mudar quando crescer? Usar outro nome, corpo e jeito?
Ou a gente só principia a ser quando cresce?
É terrível, ser? Dói? É bom? É triste?
Ser; pronunciado tão depressa, e cabe tantas coisas?
Repito: Ser, Ser, Ser. Er. R.
 
Que vou ser quando crescer?
Sou obrigado a? Posso escolher?
Não dá para entender. Não vou ser.
Vou crescer assim mesmo.
Sem ser Esquecer.
 
 — Carlos Drummond de Andrade

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.