Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

06.04.21

Cuidadinho, vai aqui o meu paizinho!


Robinson Kanes

rk.jpeg

Créditos: http://apps3333.bigbigabum7.icu/?utm_medium=oxxGrJ1EO8rl%2flkgHhDHtdaJe%2b6y3ml38Z%2b1ZX9QaLo%3d&t=main4

 

As crianças são encantadoras e por elas os pais dão tudo. Falam delas aos amigos, publicam fotos nas redes sociais, criam blogues dedicados às mesmas e acima de tudo sentem um adoração infinita por esse acontecimento a que tanto gostam de chamar de "milagre da vida"... como se os outros seres-vivos da Terra fossem peças de manufactura ou a biologia não fosse uma coisa normal. É giro e belo, mas é normal...

 

O amor dos pais pelos filhos é uma coisa que devemos enaltecer. Aquilo que mais me encanta são os papás e as mamãs que colocam autocolantes nas respectivas viaturas: "Mateus a bordo", ou então "Santiago a bordo" ou até o tradicional "bebé a bordo"! É amoroso não é? Por acaso não escolhi nem José e muito menos Ricardo porque hoje todas as crianças têm praticamente os mesmos nomes - mal os papás sabem que os filhos daqueles que realmente são ricos e finos, pronto, dão nomes perfeitamente normais aos filhos, como Joaquim, Óscar ou até Manuel! A filha do falecido Américo Amorim, chama-se? Paula! O filho do falecido Belmiro de Azevedo, chama-se? Paulo! O antigo "dono disto tudo", chama-se? Ricardo! E o primo, como se chama? José Maria, de facto!

 

E permitam-me: acham que alguém quer saber se o vosso filho se chama Bernardo e que vai no interior do vosso carro a crédito?

 

Mas retomando os autocolantes - e aquele especial, o "cuidadinho vai aqui o meu paizinho"? Por acaso, e até acredito que exista, ainda não vi o "cuidadinho vai aqui a minha mãezinha"! Se uma certa corrente castradora que anda por aí sabe, vai começar a apedrejar os carros desses machistas! Como se só os homens fossem merecedores de serem reconhecidos com o piroso "tóclante". Machistas! (Nem sei como é que ainda permitem que se diga "pais e filhos" e não "pais, mães e filhos" ou até... um nome neutro qualquer (ex)inclusivo... Será uma questão de tempo).

 

O que os papás não sabem é que provavelmente esse "tóclante" deveria servir para alertar os outros condutores. Alertar os outros condutores dos papás e das mamãs que adoram as suas crianças e até espelhos colocam no interior dos carros para, enquanto conduzem, não tirarem os olhos do "filhinho", não vá este morrer entretanto. Pode morrer, de susto, quando olha para conta-quilómetros ou quando o papá e a mamã se comportam como verdadeiros selvagens ao volante!

 

Os papás que adoram os seus filhinhos e até trocam de carro porque de repente nasceu um filho, deveriam gostar dos filhos ao ponto de respeitarem os limites de velocidade e as demais regras de trânsito! É que ultrapassagens altamente perigosas, excesso de velocidade, manobras perigosas e profundamente agressivas no trânsito enquanto levam os filhos nas suas station-wagon ou SUV pode não só acabar com a vida do filhinho amado como com a vida do filhinho do outro! E acreditem que nem a cadeirinha que mais parece o assento de um WRC os vai salvar!

 

Eu sei que até é permitido que se faça a vida negra aos pais dos outros para que o nosso filhinho tenha tudo, é um facto que a nossa sociedade até aceita isso! Mas convenhamos, que levar tanto amor no carro e depois entrar a abrir, qual street racer na Ponte Vasco da Gama,  com um carro a brilhar mas com os pneus gastos (porque a malta pensa que os invejosos só olham para a chapa e porque os indivíduos das casas de pneus não gostam muito de créditos) é uma coisa que...

 

Arriscar a vida do filhinho no traço contínuo ou com uma "entrada à cão" só porque estar na fila a ouvir programas estupidificantes das três rádios mais ouvidas de Portugal nem sempre é agradável, é uma coisa que... 

 

Em suma, começo a ter mais respeito pelo acelera do WRX ou do Type R do que propriamente da carrinha pirosa com a cadeirinha... Que isto de andar ao lado de carros com filhos a bordo, todo o cuidado é pouco e pior que um racer ou um tipo com o carro todo quitado é o pai ou mãe com pressa de chegarem a casa ou à creche do filho.

 

P.S.: não se apoquentem que não procurarei criar movimentos nas redes sociais, sobretudo no LinkedIn, para ser visto como cidadão exemplar que odeia malta (e exige a sua mutilação) que só quer beber um café ou uma cerveja na esplanada. O mesmo pessoal que confinado ou fora dele pisa tudo e todos para conseguir o que quer... Coisas da cidadania...

__________________________________________________________________________

  • Para quem quiser ler: do mestre Samuel Beckett, "Molloy". Da trilogia francesa, deixem-se levar pelo existencialismo de Molloy e Moran... Pelos extremos destas duas personalidades. É um livro difícil, não porque seja escrito para pseudo-intelectuais, mas porque exige uma grande concentração e disponibilidade para desvendar a mente das personagens e direi até, de Beckett.
  • Para quem quiser ouvir: Dafne Kritharas com "U Stambolu Na Bosforu". Música para viajar... Nestes tempos de confinamento, para muitos essencialmente mental, entregar-se aos ventos e deixar-se levar por esta parisience com pronúncia do Egeu pode ser o antídoto perfeito para se libertar.
  • Para quem quiser apreciar: Um "Casa Ermelinda Freitas Pinot Noir Reserva 2017". Leve, apesar dos 14º... Um vinho para acompanhar uma conversa, um almoço pascal e todos os dias que o seguem. A casta é inconfundível. 
  • Para quem quiser assitir: se não puderem ir ao NAT, até porque está encerrado, nada como assistir online, subscrevendo uma assinatura do National Theatre. A minha sugestão vai para "Coriolanus" de Shakespeare. Conhecer este general romano é conhecer a vida de muitos que governam ou que apenas procuram governar. Tom Hiddleston, o famoso "Loki" dá vida a esta personagem.
  • Para quem quiser comer bem e numa bela esplanada dentro da cidade, em Braga, nada como passar em São Vitor e conhecer o "Tia Isabel". Comida boa, serviço de excelência e simpatia que se estende dos proprietários aos empregados de mesa.
  • E finalmente um extra: ontem celebraram-se os 113 anos de um dos maiores maestros de sempre, o austríaco de Salzburg, Herbert von Karajan. Para ouvir o "Concerto para Piano Nº 2 em dó menor, op. 18" de outro génio... Sergei Rachmaninoff. Ao piano outra estrela... O búlgaro Alexis Weissenberg. Enjoy the Steinway people...

22 comentários

Comentar post