Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

13.10.20

Eu me confesso "apropriador cultural"...


Robinson Kanes

 

2ovbqe.jpgCréditos: https://imgflip.com/tag/cultural+appropriation?page=2

 

Uma das últimas inovações vindas do lado de lá do oceano e até de outras paragens, travestidas de liberdade mas escondendo uma amálgama de disparates e preconceitos bacocos, "começa a nascer" a propósito do Halloween. Não obstante, Halloween já é uma festa muito europeia e portanto também devemos importar - mas já vamos aferir se efectivamente estamos a acautelar os direitos humanos nessa mesma cópia sem sentido.

 

Já circulam artigos (alguns profissionais, outros menos) em que, em nome dos direitos humanos e do respeito pelo outro, se intimidam todos aqueles que, por exemplo, pretendem vestir-se de gueixa, mexicano ou até de Shaka  Zulu. Segundo os mesmos "cientistas do maple", "especialistas do like", ou "speakers do tudo e do nada", estamos não só a desrespeitar povos como a fazer uma apropriação cultural dos mesmos. E é aqui que fico indeciso, porque ainda hoje a alemã fez uma receita tailandesa (óptima, por sinal) e por estes dias partilhei por estas bandas uma " "Lasagna Bianca di Pesce e Granceola e Lamponi". Também acrescento que estou a pensar comprar uma capa espanhola da Seseña à alemã (as senhoras com bom gosto sabem do que falo) e temo que o povo espanhol se venha a enfurecer por isso, ou então a família do Picasso que celebrizou ainda mais o uso desta indumentária.

 

Tudo isto para chegar à conclusão que se me apetecer dar azo ao meu bom gosto (talvez não) e andar desnudo só com uma manta e um sombrero a tocar "Lacucaracha" pelas ruas enquanto celebro o "Día de los Muertos", mais facilmente sou censurado por andar a gozar com os mexicanos do que propriamente por andar a mostrar o...pronto, isso... na rua. Aposto que um amigo cá da casa e que é mexicano da cidade do México acharia bem interessante. E é neste sentido que sugiro que ninguém na Europa ou em qualquer outro continente celebre o Halloween, pois estamos a fazer a apropriação cultural de algo muito norte-americano. Sugiro até um boicote ao KFC, ao Burguer King ao McDonald's (Mac para os amigos) e a tantos outros elementos mais ou menos culturais dos Estados Unidos. Da próxima vez que forem ao restaurante chinês e vos trouxerem "pauzinhos" partam os mesmos na cara do empregado e não se esqueçam de que, quando forem às festas da Bacardi apanhar uma bela piela, não colocar o chapéu à Tom Cruise no filme "Cocktail". Lembrem-se também que se vos tentarem corromper no estrangeiro, devem imediatamente denunciar esse caso às autoridades locais e informar a embaixada portuguesa desta prática de apropriação cultural.

 

Eu já comecei: cancelei a minha salada russa para amanhã ao almoço e uma coisa é certa, nunca mais como pão preto da Vestefália ao pequeno-almoço para não ferir susceptibilidades, além de que os croissants estão fora de questão porque já bastou os franceses terem ficado com os louros de uma invenção austríaca.

 

Os tempos de exaltação de todas as liberdades e de combate a fantasmas invisíveis por norma, acabam em viscerais ciclos negros (será que posso dizer isto? Não vá ficar alguém ofendido...) onde a liberdade dá lugar a outra coisa menos simpática para os cidadãos. Os wannabe da liberdade arriscam-se a ser os dealers do totalitarismo. Resta apenas a esperança de que os cidadãos, na sua maioria, já não acorrerem ao átrio da igreja (ou de qualquer outra construção religiosa) para que o frade lhes diga que têm de "aceitar porque dói menos" - mais uma reles importação para subjugar os demais - e pensem pela sua própria cabeça que tudo tem limites.

 

Uma nota final: se fosse a atentar a todos os hypes da liberdade em modo wannabe, cerca de 75% deste texto tinha por cima um rasurado azul... Embora confesse que sempre desejei mascarar-me de Tony Montana e metralhar (com balas de tinta, claro...) algumas figuras deste nosso Portugal, até porque os Borsellinos,Falcones e Livatinos deste país arriscam-se cada vez mais a acabar como aqueles três apelidos.

28 comentários

Comentar post