Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

29.12.20

Heróis de 2020 para 2021


Robinson Kanes

990077_720.jpg

Créditos: Abdullah Rashid / Reuters

 

Talvez a vida seja isso mesmo, ou acabe por ser na maior parte das vezes: um ensaio para uma representação final para mudar o rumo das nossas vidas.

Arundhaty Roy, in "O Ministério da Felicidade Suprema"

 

 

E pensar que no dia 2 de Janeiro já ninguém se lembra da última semana de Dezembro... Ainda bem que nem todos encetam as mudanças desejadas pois teríamos também o Mundo mergulhado no caos mas, se pelo menos 1% já fizesse alguma coisa... Honestamente, se as nossas cabeças não mudarem de ano, a passagem do ano é apenas mais um apontamento no calendário. Perante essa forma de estar, sugiro que passem o 31, como sempre, a assistirem a séries na Netflix, a usufruir de horas nas redes sociais ou a estrearem a nova tara do português, a cadeira de gaming.

 

Neste artigo de transição, contudo, não me irei focar na realidade nacional, demasiado pequena e terceiro mundista (veja-se o show off das vacinas) mas em situações que, de facto, nos trazem esperança num 2021 melhor.

 

Por estes dias pensarei em Fatimata, uma menina de 10 anos, com um semblante de mulher  e que sonha um dia ser professora numa escola islâmica do Niger de modo a ajudar as pessoas a conhecer melhor a sua própria religião e a evitar conflitos. O Niger fica no coração do Sahel Central e partilha as dificuldades com os restantes dois países da região: Mali e Burkina Faso. Interessante ambição tendo em conta que cerca de sete milhões de crianças precisam de assistência humanitária urgente naquelas bandas. Este é um dos exemplos que podemos encontrar na Exposição Virtual das Nações Unidas "One Day I Will".

ocha.jpg

Créditos: Vicent Tremeau /OCHA

 

Por estes dias pensarei no John, e na minha tristeza por não ter estado presente, que passou o seu Natal a distribuir pequenos presentes pelo Uganda. Pequenos presentes que vão desde o arroz ao pão de forma e fizeram sorrir muito mais a população idosa daquele país do que propriamente os brinquedos caros que encheram as casas portuguesas. O Uganda teve e tem esta capacidade de me dar um murro no estômago numa base diária. Janeiro será um mês de eleições naquele país e a esperança de que 2021 seja um ano de viragem e este país possa finalmente rentabilizar o seu grande número de jovens desejosos de construir uma verdadeira Democracia é cada vez mais forte.

8293637a-62a5-463b-9cde-661360ec7966.jpeg

Créditos: John

 

Por estes dias pensarei em Shaimaa al-Abbasi, uma heroína curda de 23 anos e que, vestida de mãe-natal, andou de bicicleta a distribuir presentes às crianças de Mosul no Iraque. Esta jovem, devido ao conflito com o Estado Islâmico, deixou a escola e até hoje ainda não conseguiu voltar. Um dos problemas que mais afecta crianças em países africanos, asiáticos e do Médio-Oriente. Pensarei no dia em que voltará à escola e será a reconstrução de uma futura líder iraquiana.

 

Por estes dias pensarei em Eutur Nafra, uma voluntária que passa os seus dias a consciencializar mentes para os perigos do SARS-Cov-2 no acampamento de Abnaa Mhin na Síria, local que acolhe 1800 famílias deslocadas. Outra heroína.

unochoa.jpg

Créditos: https://unocha.exposure.co/ochas-2020-in-reviewnbsp

 

E como não posso pensar em todos no mesmo dia, pensarei na "Mrs. F", nome pelo qual é conhecida Ifeoma Fafunwa, uma activista que na Nigéria dirige a "Hear Word!", um projecto teatral que se foca no abuso a que as mulheres na Nigéria estão sujeitas. Recordo-me do desafio que a mesma terá em Makoko, e no seu papel fundamental e suportado nas artes, para ir vencer a violência contra as mulheres, tão comum por essas bandas. O teatro será o veículo para suscitar empowerment naquelas mulheres e encetar uma mudança radical. Esperemos que 2021 traga muitas peças, especialmente utilizando uma metodologia que me diz muito e com a qual já tive oportunidade de trabalhar. As artes ao serviço de um mundo melhor!

image41-1024x683.jpeg

Créditos: https://ynaija.com/lagos-theatre-festival-5-years-women/

 

Feliz Ano Novo, apenas se deixarem as palavras e encetarem uma espécie de anabolismo rumo a alguma mudança.

 

34 comentários

Comentar post