Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

28.05.20

Human Lives Matter


Triptofano!

Não é o mundo que muda, somos nós que mudamos o mundo!

Em Orange is The New Black, uma das personagens morre numa rixa após ser esmagada por um guarda prisional. E se infelizmente a realidade das prisões em muitos países está a milhares de anos-luz da nossa imaginação nunca pensei que tamanha violência fosse possível, num auto-proclamado país de primeiro mundo, em plena luz do dia com inúmeras testemunhas.

Existe um episódio de Black Mirror onde as pessoas desenvolvem uma obsessão doentia por filmar tudo e todos, independentemente se a pessoa está a definhar mesmo aos seus pés, e foi isso que aconteceu no polémico caso do homem que morreu depois de ser neutralizado durante longos minutos pelo joelho de um polícia posicionado no seu pescoço.

Se por um lado a brutalidade policial foi levada ao seu extremo sem justificação (não existe justificação possível para um pescoço ser esmagado durante longos minutos) a cobardia humana mostrou a sua pior cara.

É verdade que as testemunhas que estavam a filmar pediram várias vezes que o polícia parasse com o acto de violência, mas de que valeu isso? Quando vemos um ser humano em agonia, um ser humano a suplicar às mãos de outro, um ser humano que perde os sentidos e acaba por morrer, conformamos-nos que não temos poder perante uma força policial e ficamos do nosso lado a gravar tudo e a proferir reclamações?

Do que é que vale a gravação, do que é que vale a indignação, do que é que vale ter-se muita razão se aquele homem está morto? Os polícias podem ter sido despedidos, culpabilizados, presos, o que quer que seja, mas aquele homem está morto.

Morto porque ninguém teve a coragem de interromper o que se passava. De salvar aquele homem. De se preocupar primeiro com outro ser humano, independentemente do que ele pudesse ter feito para estar a ser detido, em vez de ficar encolhido num canto com medo de ir parar à prisão por fazer o mais correcto.

Se houve crime de quem matou não houve também crime de quem viu e não actuou?

Human Lives Matter

Que a coragem nunca nos falte, que a voz nunca se nos cale, que nunca desistamos de lutar por aquilo que torne o mundo um lugar mais justo!

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.