Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

06.07.21

Orgasmos Orwellianos e Huxleyanos


Robinson Kanes

gaelle-marcel-pcu5rnAl19g-unsplash (1).jpg

Créditos: Gaelle Marcel / Unsplash  

 

Nota Introdutória: serei só eu o único indivíduo que olha para o extracto bancário ou que repara nos preços dos combustíveis? Se assim for fico mais tranquilo e não questiono porque é que estamos a ser roubados descaradamente e ninguém questiona... E para quem vier falar de circulação, recorde-se que o preço dos combustíveis influencia em larga margem o preço de todos os outros bens e serviços. Entretanto, também já reparou onde anda o Bloco de Esquerda e o PCP? Desde 2015 que ninguém sabe deles...  Apesar de aparentemente mortos têm pactuado e incentivado uma certa opressão.

 

Na verdade, tenho de reconhecer que admiradores de Orwell, Huxley, Zamiátin - e arriscaria até num Golding - terão nos dias de hoje um sem número de orgasmos, quanto mais não seja intelectuais, na medida em que a cada segundo o Mundo nos mostra como tais visões tenebrosas e do passado, se mostram no presente e com máxima atividade.

 

Na realidade, enquanto vamos fechado os olhos a genocidios e práticas totalitárias em África, na América do Sul, na Ásia e até no leste da Europa, vamos destruindo a sociedade que mais conquistou direitos e mais respeita os Direitos Humanos. Até damos palco a quem bate palmas por se negar o massacre de Tiananmen e mais que isso, por se transformar Hong Kong numa espécie de gulag - lutamos por não negar um holocausto , mas andamos a fechar os olhos a tantos outros que têm lugar diante dos nossos olhos.

 

Esta é a sociedade onde meia-dúzia (em crescente até se tornar escrava e voltar a decrescer) decidiu ajustar contas com o passado deitando estátuas abaixo impunemente (com as autoridades políticas a não agirem para não acicatarem mais violência - acabando por reconhecer a mesma com a sua inacção - veja-se o Canadá) é a mesma que veste orgulhosamente roupa fabricada por indivíduos submetidos a trabalhados forçados na China, por exemplo. Para quem tem dúvidas, dê uma vista de olhos pelos escândalos dos últimos dias no grupo Inditex. Basta tirar o .pt das publicações jornalísticas. Nada como lutar por temas passados  (e já resolvidos) numa sociedade que nos dá liberdade para o fazer, enquanto promovemos na foto do instagram uma outra que retira todos os direitos, inclusive à vida.

 

De facto, nestes tempos conturbados em que nem falamos com o vizinho, deu-nos uma vontade extrema de pegar em bandeiras e criar um mês dedicado ao orgulho gay. Nada contra, embora sejam muitos os indivíduos que se encaixam no chamado LGBTQSEVDSGEVRRER+2(x+3)=(4x-1)/2+f(–2)=(–2)³=–z1.z2=(a1+ib1).(a2+ib2)=(a1a2–b1b2)=(a1b2+b1a2) que dizem que tudo não passa de uma fantochada que não está a ajudar em nada os que ainda sofrem com algum tipo de discriminação. Mais uma vez, ignora-se o resto do Mundo, sobretudo porque é todos os dias que na Europa e nos Estados Unidos os gays são perseguidos e enforcados. Não... Tenho, contudo, alguma esperança que virá aí o mês do orgulho pela paz, pela luta contra a tirania e autoritarismo, pela defesa das crianças que morrem de fome, o mês da luta contra a corrupção, o mês contra a pedofilia e claro, o mês do ser humano com todas as diferenças do Mundo e igual em direitos e deveres. Virá, certo?

 

Ainda a propósito deste tema, uma nota para uma das imagens de marca destes movimentos: a vitimização, sendo que um dos maiores exemplos é aquele em que se ninguém dá importância é homofóbico ou fascista (agora entra tudo neste rótulo) e se dá importância está a explorar a causa e a tirar proveito disso numa espécie de woke capital. Decidam-se, meus caros... Eu sei que se um problema não existir, sobretudo nos dias de hoje, não há tempo de antena nem fundos e talvez uns tachos, passe a expressão... Afinal, dizer que com as nossas diferenças somos todos iguais é um trabalho hercúleo e... gratuito porque... Porque os códigos legais em quase toda a sociedade ocidental já o dizem. 

 

Nesta série de orgasmos, vamos vendo como numa de sermos muito livres admitimos que a tirania cresça em alguns pontos do planeta e também à nossa porta - não posso deixar passar a minha desilusão com alguém que dirige a PSP e que respeito imenso mas que tem pactuado e servido como um dos  porta-vozes de um certo autoritarismo, qual membro da NKVD. Voluntariamente ou não (acredito, apesar de tudo na segunda hipótese) esta pandemia serviu de ensaio para muitas práticas e a opressão, manipulação e autoritarismo foram apenas algumas. Ah e tal (perdoem a escrita) mas a malta está mais unida e alerta! Poupem-me, ou então deixem o sofá e a Netflix e saiam à rua... Ou tenham um orgasmo com Golding.

 

Portugal e Espanha, onde tenho passado mais tempo, não foram exceções, com Governos de prática comunista e onde, no segundo caso, já nem é permitido dizer pai nem mãe mas sim progenitor ou progenitora... Malta do Huxley, mais um orgasmo. A engenharia social está aí e em algumas localizações não parece ter muita vontade em desaparecer. 

 

Não quero nem acho que deveremos querer viver num Mundo onde os comportamentos mais básicos nos são impostos, inclusive o de não beber Coca-Cola ou ir ao Burger King só porque alguém que ainda não aprendeu a falar e fugiu ao impostos, ou uma agenda política decide que assim é. E para rápida decepção dos portugueses que querem ser primeiros em tudo: o primeiro desportista do "Coca-Cola Gate" não foi aquele a que me referi anteriormente mas um Espanhol, o seleccionador de futebol da Espanha, Luis Henrique. São estes indivíduos pop que pensam poder influenciar o mundo e em nada acrescentam, sendo que o primeiro cavalheiro até já ganhou dinheiro com a Pepsi e promoveu um dos maiores esquemas piramidais do mundo, vulgo Herbalife. Malta do Orwell, venha um orgasmo.

 

Cada vez mais, o mundo precisa de cidadania e menos de alegados libertadores que de interesse comum têm pouco. A força de um povo e a prosperidade sustentável está aí, mesmo que o caos e o medo ajudem a vender livros como os Gustavos Caronas, os Simas e os Buescos deste mundo. Já repararam que estes senhores e outros só aparecem com o discurso do pânico (no caso do primeiro, totalmente contra os princípios médicos) quando os números da pandemia sobem? Também já repararam que muitos deles se tornaram vedetas, fazem anúncios e, como no caso do citado, aproveitam para vender livros onde se vitimizam por trabalhar 24 horas por dia num hospital - estranho, porque os dias devem ter 60 horas, pois naquilo que eu entendo trabalho de 24 horas não encaixam idas à televisão, a programas na internet, a vídeos, tempo para escrever livros e aparecer em tudo quanto é revista. Devo andar a trabalhar pouco ou então ainda não me apercebi que Arnold Behlen tinha razão e o homem é mesmo um animal em perigo.

 

_________________________________________________________________________

Para quem quiser ler: tendo mencionado William Golding, não poderia deixar passar "O Senhor das Moscas". Não percamos o que temos de Humano, embora a História, inclusive a que se escreve hoje, nos mostre que...

Para quem quiser ouvir: estiveram para actuar em Alcochete este fim-de-semana mas o evento foi adiado. A solo ou em dueto, Montse Cortés e Javier Limón são alma de Espanha. Também em Espanha, muitos procuram destruir essa alma, mas ¡no pasarán! e percebe-se porquê ouvindo este "Palpitando"

Para quem quiser assistir: A Comuna é sempre passagem obrigatória. E o teatro também é para nos divertirmos, mesmo quando a mensagem é séria, enfim... "Tudo é Relativo".

Para quem quiser comer e beber: Na verdade, para beber é fácil... Um Valdamuro Premium Sauvignon Blanc 2020  da Casa Santos Lima - bom preço, fresco e dá para partilhar vezes sem fim. Por enquanto, ainda nos é permitido beber. Para comer e beber... "O Minhoto" em Almeirim. Um histórico da terra e que marcará também para sempre a minha infância. A espetada de lulas, o borrego grelhado e não me ficava por aqui - e claro, a simpatia! É o Ribatejo, que durante uma parte da minha infância também me acolheu. 

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.