Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

22.01.24

Para Onde Caminhas Ò Democracia?


Filipe Vaz Correia

 

 

IMG_0583.webp

 


Para onde caminha a nossa Democracia?

Esta poderia ser uma pergunta milenar, uma questão que se misturasse na vociferia do dia a dia, porém olhando para a actualidade parece-me que se trata de uma parte fundamental da nossa essência como sociedade.

Aristóteles e Platão, entre outros, há milénios que identificaram este problema na democracia Grega, nas democracias em geral, ou seja, sempre que estas permitiam o ressurgimento de demagogias e populismos entre elas, na maioria dos casos, ruíam dando lugar aos anarquismos próprios desse tipo de discursos levando inevitavelmente a tiranias que surgiam para consertar as fissuras criadas pelos mesmos demagogos.

Ou seja, a receita é conhecida, os resultados sobejamente entendidos e mesmo assim assistimos neste início de século XXI a um conjunto de populismos por este Mundo a fora que nos deixam a todos aqueles que "pensam" e "raciocinam", dentro de certo bom-senso, absolutamente estupefactos.

Há muito que estes discursos e ideologias ultrapassam o cenário de esquerda e direita, o que nos deve preocupar ainda mais, somente os mentecaptos podem acreditar que António Costa é um perigoso comunista ou que Montenegro esconde uma política fascista entre os seus apaniguados, ou mesmo que todos eles são uns incorrigíveis corruptos que querem capturar a máquina do Estado, no entanto, esta teoria sobrevive, sem contraditório em círculos da extrema direita, cada vez mais viva e inescrupulosamente desavergonhada.

Quem vota nestes extremistas não está interessado na verdade, na exactidão das palavras ou das ideias, tem o seu veredicto decidido, com ou sem provas, olhando para uma realidade paralela como se tratasse de uma última pintura de Picasso.

 

 

Imagens de Itália em 2024

 

 

O que importa é um ódio ou uma raiva que lhes dê sentido às frustrações e aos seus medos.

É sempre mais fácil culpar o outro do que entender o nosso desconstruído percurso.

400 milhões para a ideologia de género?

Pensões equiparadas ao ordenado mínimo?

20 MIL MILHÕES EM CORRUPÇÃO?

Somente algumas ideias deixadas por um partido de extrema direita em Portugal e que nos levariam numa questão de pouco tempo à bancarrota...

Mas o circo se perpetua, mantém a mesma seriedade de um programa futeboleiro na CMTV.

Mas não será isto que alguns procuram?

Uma questão de fé na bestialidade humana.

Eu cá prefiro alguma racionalidade, por entre, bestas e desgovernados...

Desgovernados desavergonhados.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

2 comentários

Comentar post