Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

21.07.20

Rapsódia Portuguesa...


Robinson Kanes

manuel henrique pinto o almoço.jpg

Manuel Henrique Pinto - "O Almoço" (Museu José Malhoa)

Imagem: Robinson Kanes

 

Os eleitores comuns começam a sentir que os mecanismos democráticos só não os capacitam.O ruído à volta está a mudar e não conseguem perceber nem compreender porquê. O poder está a fugir-lhes das mãos e ainda não sabem para onde é que se transferiu.

Yoval Noah Harari, in "Homo Deus".

 

As últimas semanas têm sido, em particular para Portugal, de uma riqueza invulgar... Estamos a desenvolver estratégias para melhorar a estrutura económica e social do país para os próximos 10 anos! Não... Nada  disso...

 

Na verdade, descobrimos que em Portugal não existem apenas cidadãos de primeira e de segunda, nomeadamente a função pública e os outros. Também existem os acediosos, mas esses são uma classe especial e que tem também estatuto especial de elevada sobrevivência e multiplicação. No entanto, existem outros membros da nossa sociedade que nos deviam encher de orgulho e levar-nos a fazer corações com as mãos e dizer obrigado. Se a isso juntarmos os interesses da nação, temos um pot-pourri genial, vejamos:

 

O adepto da bola: ser adepto de futebol é um estatuto único no país, além de podermos furar normalmente todas as leis, podemos também festejar conquistas na rua sem que a Polícia possa fazer o que  quer que seja, aliás, em alguns casos, perante a proibição dos festejos, as forças da autoridade são levadas a bloquear a estrada para que ninguém incomode quem se dedica a celebrar. O indivíduo que tem uma esplanada, muitas vezes vazia, arrisca a ter a Polícia em cima se não fechar às 20h:00m para que o vírus não se espalhe. A melhor de todas, e permitam-me a abordagem mais ao estilo taberneiro, é de que temos presidentes de câmara que dizem não saber como controlar estes indivíduos e até mostram tremenda complacência com os mesmos... São os mesmos presidentes em exercício que surgem nas listas de candidatos a órgãos de determinados clubes desportivos. Para o futuro, sugiro uma tese: "Como gerir a segurança nas ruas do concelho: um estudo de caso".

 

O motard: ser motard também é uma outra classe... Não basta que algumas câmaras municipais cedam espaço público de forma não onerosa a clubes motards, dada a sua "importância" para as respectivas concelhias, como ainda a Polícia e demais autoridades, são, mais uma vez, desrespeitadas e enxovalhadas porque uma concentração motard em Faro tem de se fazer - mesmo que a Polícia bloqueie uma estrada e os cívicos participantes de um desfile proibido sigam o seu caminho e até surjam nas televisões como heróis. Se juntamos a isto os heróis dos concertos no campo pequeno, dos comícios, das manifestações, dos mergulhos na praia para povo ver e mais um sem número de bons exemplos, podemos estar tranquilos...

 

Orgias milionárias são contra todas as recomendações da Direcção Geral de Saúde! No país onde a pedófilia é só uma asneira, qual o espanto? 

 

Uma moda para o futuro vai ser também encontrar o agente  principal ou o cabo que tenha um nome qualquer similar a Floyd e se faça deste um herói: afinal, agredir polícias que optam por fazer cumprir a lei, nomeadamente as emanações de combate ao coronavírus, parece estar a ser um padrão bastante comum. "Police lives matter", não esquecer, que em breve vai ser um slogan.

 

Outra das modas que parece estar a pegar é a das das sondagens de popularidade de Dupond & Dupont. Quando a coisa aperta (vírus, desastres económicos, incêndios...) lá encontramos um primeiro-ministro e um presidente da república sempre em altas. ´"reelections matter", não esquecer também. Não acredito em sondagens feitas à medida, mas " que las hay, las hay".

 

Algo que já é moda, é também o contínuo incómodo e até um certo "desaparecer do mapa" por parte de um indivíduo, que é só o mais alto magistrado da nação, quando o tema BES volta ao estrelato. Ai Angra dos Reis... Já lá estive, e tem a sua beleza, entendo porque é que... Quando os temas são complexos, o silêncio é o melhor amigo.

 

E com o país a passar todas estas dificuldades sociais e económicas, vamos marcando mais uma vez a nossa posição de pedintes na União Europeia - já começo a perceber porque é que as mais altas figuras do Estado adoram ser fotografadas a dar comida aos pobrezinhos de fato e gravata. É que depois de encherem o estômago dos pedintes e controlarem a ira dos mesmos, é preciso ir mendigar de fato para outras paragens. Posso dizer vergonha?

 

Também acabámos de perceber que em Portugal, António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa, a troco de esmolinhas europeias, varrem a Democracia, o Estado de Direito e os Direitos Humanos para debaixo do tapete. O segundo não espanta, o eterno candidato a "Presidente do Conselho" e ambicioso pseudo-sucessor de Marcello Caetano, já o primeiro, espanta mais... Mas a sede de popularidade é tanta e as bocas são tantas para alimentar na pesadíssima máquina do Estado que vale tudo! Que se lixem a Democracia e o Estado de Direito! Venha mas é depressa o dinheiro dos outros! E os maus são os Holandeses e os nórdicos, gente maldita! Portugal sim, esse país sempre diplomático e defensor da Liberdade... Até faltar o bago...

 

Também ficámos a perceber, mais uma vez, que no país das "borlas", o resultado do serviço prestado nunca é bom. Pagar pouco ou não pagar, normalmente corre mal. Contrata-se a  título pro bono (como se em política um pagamento seja só remuneração) e descobrimos que temos um tratado filosófico ou um trabalho da cadeira de economia de um aluno do primeiro ano da faculdade. Brilhante, uma mão cheia de lugares-comuns, verdades mais que sublinhadas e uma  total ausência de estratégia e planeamento. Brilhante!

 

Finalmente, e porque até já o IEFP paga a prestações os subsídios alegando já há muita gente a viver do dinheiro da segurança social, por motivos óbvios, sobretudo nos últimos tempos (foi-me transmitido por um conhecido, não consigo garantir total veracidade dos factos e posso estar errado) fico a saber que o mais importante no meio de tudo isto não é a estratégia de futuro para a economia, para as pessoas e consequentemente para o país, mas sim a contratação de um treinador de futebol e de vedetas de televisão! O país está em chamas? Morrem bombeiros, arde tudo porque, mais uma vez, nada é feito e os irresponsáveis e incompetentes pululam pela protecção civil, bombeiros e política? "Doa a quem doer", alguém não se cansa de vociferar...

 

Importa pouco,  o relevante é: vedetas da bola e da televisão! Estranhamente, dois sectores que recebem dinheiro do Estado (e aqui é que é grave, pois não tendo apoios públicos cada um que gaste o dinheiro como quiser) e gastam milhões em coisas que ninguém percebe, no mínimo é pornográfico. Ser pedinte e viajar de jacto privado ou pagar milhões por "x" ou  "y" é coisa de pobre...

 

Temos um canil a arder, e por lacunas na lei, é vedada a prestação de auxílio enquanto se dá uma bela churrascada de cães e gatos. Perfeito!

 

E porque já estranhava a ausência de falatório em torno dos incêndios (este ano, apesar de tudo mais comedido porque a bola e a televisão é que estão a dar).. Já alguém reparou que passou o boom da temática da COVID-19 e de repente os incêndios apareceram... Parecem uma espécie de José Figueiras ou Ana Marques, ou até de Jorge Gabriel e Sónia Araújo... Quando estão todos de férias, não há tempo e as audiências são fracas, vai-se ao armário e recolhem-se meia-dúzia de fracos profissionais colocados nas prateleiras das televisões. Em relação a furos jornalísticos nas televisões e não só, os incêndios são óptimos para isso. Uma nota a este propósito: continuam a  morrer profissionais por incompetência dos dinossauros que os comandam!

 

Se isto não é de nos encher de orgulho! Eu sugiro que façamos todos uma análise deste género e a enviemos ao "holandês"  com uma nota a dizer: "por favor, uma esmolinha". Sempre podemos pedir ajuda a um indivíduo de nome Mário Centeno que, cansado de ser Ministro das Finanças e com medo de ser enxovalhado pelos pares europeus que já não o suportavam, decidiu ir para algo mais tranquilo e relaxante, o Banco de Portugal - de facto, tendo em conta as regalias que esta instituição permite, não tenho dúvidas que é o melhor resort, mesmo que a Assembleia da República esteja contra e os tribunais se julguem incompetentes para resolver eventuais providências cautelares. 

 

Continuação de boa semana, especialmente para os activistas da moda, intolerantes travestidos de tolerantes mas com uma veia comodista... até porque, ouvi dizer, que o Arrentela vai contratar um novo avançado e a Rádio Botaréu acabou de confirmar um novo locutor para o programa "avózinhas do trance".

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.