Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

31.05.22

Brasil: Um País Perdido?


Filipe Vaz Correia

      Durante estes dias recebi um e-mail de um estimadíssimo leitor desta sardinha e um amigo... O nosso Pequi. Desde o seu Brasil, o amigo Pequi escreveu-me linhas de tristeza e desencanto nesse desespero de quem observa o definhar de uma magnífica nação. Uma nação capturada por uma franja de insanos, liderada por um ignorante que se arroga no direito a ameaçar não reconhecer eleições e não sair do poder... Sim, meus caros amigos, Bolsonaro já o ameaçou fazer, (...)
25.10.21

Meu Querido Amigo…


Filipe Vaz Correia

      Faltou-te tempo para viver; Faltou-te tempo para amar, Faltou-te tempo para crescer, Faltou-te tempo...   Sobrou tempo para esta dor; Sobrou tempo para tamanha Saudade, Nesse tempo sem temor, De levar esta amizade...   Destino ladrão; Vagabundo, Cancro maldito, Sem vergonha, Nesse grito profundo, Que se liberta...   Caminho inacabado; Uma vida por cumprir, Planos, desejos imaginados, Sonhos a fugir...   Ainda recordo o teu olhar; A esperança e a (...)
06.09.21

Mr. Kanes


Filipe Vaz Correia

          É assim a vida, repleta de chegadas e partidas, pessoas que cruzam esse caminho partilhado e permanecem connosco. Foi assim a minha ligação com o Robinson Kanes. Quando o Sapo me propôs uma entrevista para o SapoBlogs, num dos vários itens de perguntas, uma delas era para falar sobre o blog que mais acompanhava diariamente... Escolhi o não é que não houvesse, pois era de facto um blog que me abria o apetite, com a escrita aguçada do seu autor, assim como as suas (...)
13.07.20

O Espelho E O Tempo...


Filipe Vaz Correia

    O tempo... Gostaria de vos pedir uma coisa: Vão para perto de um espelho e olhem fixamente para ele... Olhem para essa pessoa que vos aparece reflectida. Agora... Fechem os olhos e iniciem a viagem... Quantas memórias e perdas segredadas? Quantas paragens para saídas e entradas? Encontros, reencontros, desencontros... Ontem soube, por acaso, da morte de alguém que cumpriu comigo, esta viagem, durante os primeiros anos de minha vida. Um amigo que se perdeu no tempo (...)