Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

06.09.21

Mr. Kanes


Filipe Vaz Correia

          É assim a vida, repleta de chegadas e partidas, pessoas que cruzam esse caminho partilhado e permanecem connosco. Foi assim a minha ligação com o Robinson Kanes. Quando o Sapo me propôs uma entrevista para o SapoBlogs, num dos vários itens de perguntas, uma delas era para falar sobre o blog que mais acompanhava diariamente... Escolhi o não é que não houvesse, pois era de facto um blog que me abria o apetite, com a escrita aguçada do seu autor, assim como as suas (...)
26.07.21

As Mãos De Uma Velha…


Filipe Vaz Correia

          Vi-te velhinha; De mãos ao vento, Vazias, calejadas, penduradas, Contando o tormento, E há muito abandonadas...   Sentada na porta de uma casa; Com o desespero estampado no rosto, À espera que a morte dê asa, E lhe chame para o seu posto...   Nesse dia quem passar; Não mais a irá ver, Provavelmente sem notar, Que a velha acabou de morrer...   Mas o que importa uma mulher; Imunda, suja, desesperada, O que importa querer ver, Aquela alma cansada...   Esquecemos é (...)
05.07.21

Da Janela De Minha Casa…


Filipe Vaz Correia

          Sentei-me diante das enormes janelas que tem a minha sala de estar, olhando para o lado de fora que se "esconde" na realidade do dia a dia. Um semi-quadrado de janelas, de prédios, de gente... Roupa estendida, vento, árvores e plantas, jarrões e limoeiros, vidas que passam ali ao lado, num espaço tão curto e ao mesmo tempo tão distante, tão ausente e tão presente, tão carregado de tudos e de nadas. Numas janelas moram caras conhecidas, outras ainda mais (...)
24.05.21

Um Encontro De "Gentes"...


Filipe Vaz Correia

      De olhos fechados, quase cerrados, vejo as entrelinhas de uma história na sequência de um destino, por entre, mares e rios... A certeza desse querer sempre me aconchegou, sempre me amarrou a alma. O que somos nós senão esse encontrar do tempo com a alma das gentes... Olho para esse desmedido tempo com a fraterna plenitude do crescimento, reflectindo essas diferenças que marcam o olhar de hoje, desnudam aquele olhar  de ontem, essas definições que anteriormente (...)
15.05.21

Caldeirada Com Todos... “Pedro Neves”


sardinhaSemlata

          As duas palavras mais temidas por qualquer escrevinhador desinspirado, parcialmente alheado da atualidade e focado no desconfinamento: “tema livre”. Ainda pensei em alguns temas, mas as palavras simplesmente não saíam. Virei-me, por isso, para a fotografia, o meu desbloqueador preferido de textos.     Não foi preciso remexer muito na pasta de fotografias para encontrar uma que pudesse servir de base para este texto. Uma das mais recentes, feita no passado (...)