Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

15.09.20

Libretto para os novos visionários...


Robinson Kanes

Imagem: Robinson Kanes     "A era das comunicações de massa é de deterioração da comunicação inter-humana" Gilles Lipovetsky, in "O Império do Efémero"   Recentemente, assisti a uma atleta de alta competição e vencedora de um torneio internacional, responder à questão do porquê de se ter comportado, durante o torneio, de determinada forma em relação a um hype do momento - um comportamento muito em voga em que se procura dar nas vistas em relação a um tema (...)
01.09.20

Mulheres de Armas: as Akashinga


Robinson Kanes

Créditos: https://www.iapf.org/     Quem se convence que o estranho paradoxo de manter a paz com armas é um hebetismo que não leva a nada, ou não vive no planeta Terra ou nunca esteve em contacto com seres-humanos. Infelizmente, embora a diplomacia não deixe de ser o recurso primordial, as coisas não funcionam assim.   No Uganda, cheguei a ouvir falar destas senhoras, as Akashinga, e foi com um grande sorriso que recentemente me (...)
25.08.20

Estado de Calamidade!


Robinson Kanes

Créditos: https://www.vulture.com/2018/04/revisiting-the-controversy-surrounding-scarface.html   O céu é de todos e este mundo de quem mais apanha. Raul Brandão, in "A Farsa"     Não, não estamos em Estado de Calamidade, pelo menos declarado. Mas que alguma calamidade já connosco carregamos, é um dado adquirido.   Ana Mendes Godinho, Ministra do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, deu dois tiros nos pés no decorrer dos últimos dias. Encontro semelhanças com (...)
18.08.20

Chiuso per tramonto...


Robinson Kanes

Créditos: https://www.corriere.it/buone-notizie/19_luglio_16/chiuso-tramonto-l-avviso-clienti-libraio-romantico-1805d84a-a7cd-11e9-87b1-16eba1cb2125.shtml     Somos todos, ou quase todos, os púpilos daquela ciência do século XIX que nega a existência de tudo o que não  se sabe medir ou explicar. O que não explicamos nem por isso deixa de existir, mas certamente não recebe a nossa benção, não aprendemos o que não explicamos, e assim o mundo, na sua maior parte, ficou (...)