Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

06.03.22

Os livros de História do futuro


O ultimo fecha a porta

Vi este cartoon/meme na Internet e foi algo que já tinha refletido. Como se vai explicar os nosso filhos/netos, o que se está a passar neste início louco da década de 20?   Quando foi o covid, um jornal dizia que a "geração à rasca" era a primeira geração que vivia duas crises seguidas. Passado um ano, ainda é pior! Acaba uma pandemia e no próprio mês, começa uma guerra. É às nossas portas e não se sabe como e  quando acaba.  Entretanto, se já estávamos a sofrer na (...)
09.01.22

Pouco tempo de debate efetivo


O ultimo fecha a porta

  Esta semana fomos surpreendido pelos debates das legislativas. Vi alguns, outros nem tanto, mas uma coisa parece-me certa: 25 minutos não dá para nada. Sobretudo para quem precisa de tempo de expôr as suas ideias. Um do exemplos foi quando a Iniciativa Liberal foi confrontada pelo facto de exigir o pagamento integral de propinas aos estudantes, não dando tempo para JCF explicar, confirmar ou desmentir.  Esta correria, com tantos canais de informação, não é saudável e (...)
07.11.21

Os fantasmas dos números do Covid


O ultimo fecha a porta

Não sei se vos acontece o mesmo, mas sempre que oiço as notícias dos números do covid começa-me logo a subir a mostarda ao nariz. Parece uma ditadura, como se não houvesse mais doenças ou como se não houvesse mais mundo.    Com a população vacinada, qual a pertinência de se estarem a lançar números para a imprensa diariamente? Para assustar a população? Para disfarçar as deficiências cada vez visíveis do SNS e que tardam a ser corrigidas?   Dá muito que pensar porque (...)
28.01.21

De quem é a culpa?


Triptofano!

Num mundo binário, onde o certo e o errado, esses conceitos tão maravilhosamente subjectivos, fossem extremamente bem delineados e sem margem para segundas interpretações, quem tivesse comportamentos errados deveria ser punido por colocar a harmonia multinível onde se insere em perigo. Sim, porque ao contrário do que muitos querem acreditar, as nossas acções estão sempre intimamente ligadas a repercussões na comunidade onde nos inserimos. Mesmo quando acreditamos que aquele (...)