Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

17.06.24

No Templo De Zeus


Filipe Vaz Correia

        Escrever, escrever, escrever, regurgitar o que na alma vai, minha, tua, das tamanhas solidões que se desencontram nas ruas, despidas e cruas, para sempre caladas por entre as cerradas janelas da vida. Nada pode ser mais sentido do que esse vazio colectivo, o sentir superficial do demasiado, sem que nada seja completo, intensamente fechado num ciclo bastante, agonizante e turbulento. Um quadro esborratado de todas as cores, tamanhas, misturadas na complexidão (...)
03.06.24

Parabéns Mãe


Filipe Vaz Correia

    A minha Mãe teria feito neste dia 2 de Junho, 89 anos, por isso recupero aqui um texto escrito no Caneca de Letras que expressa um pequeno pedaço do pulsar das minhas saudades e da infinitude do nosso amor. "In amor veritas" Parabéns mamã.   Guardo-te nas minhas memórias onde sobrevive o teu cheiro, o teu olhar, a tua voz, tantos momentos que guardados em mim perpetuam cada parte de nós, intensamente nossos, perdidamente únicos. Guardo em mim a saudade, ardente e (...)
02.10.23

Rostos Esquecidos No Fundo Do Mediterrâneo…


Filipe Vaz Correia

          Rostos carregados de sal; Olhares, meio fugidos, Almas que afinal, Haviam desistido, De ter esperança...   Rostos escondidos do tempo; Esquecidos desse passado, Onde talvez, por um momento, Possam ter acreditado, Que era possível ser feliz...   Rostos gretados; Mostrando as marcas da dor, Desse caminho iniciado, Fugindo de um horror, Que não consegue ser contado...   Rostos aprisionados; Em imagens, fotografias, Muitas vezes emoldurados, Em exposições, romarias, Mas (...)
17.07.23

Questões Filosóficas


Filipe Vaz Correia

      Corre o tempo sem parar, sem deixar sons e silêncios suspensos através dos dias e noites amontoados em cada rosto, por cada alma, em cada pedaço de gente. Nessa mistura de histórias, de contos, amarrados às linhas de um destino, encontram-se mágoas e risos soletrados pacientemente, impacientemente  desencontrados com tantos outros momentos segredados apenas ao coração... Vejo gentes nas esquinas, atravessando ruas, saltitando por entre as poças de chuva que (...)
19.06.23

As Estrelas Do Céu


Filipe Vaz Correia

              Contei todas as estrelas do céu; Uma a uma, cada uma Olhei para elas despidas Na bruma, discreto Escutando-as perdidas Naquela imensidão...   Decorei o seu brilho; Vislumbrei o seu reflexo Questionei o seu destino Desafio sem tino De um universo em desatino...   Contei todas as estrelas do céu; Uma vez mais interrogando De onde vieram, para onde irão Nesse mistério desesperando Por uma resposta em vão...   Contei todas as estrelas do céu; E continuei a (...)