Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

25.08.22

Qualquer caminho leva a toda parte


The Travellight World

  Foto: Travellight | Floresta de Bambu de Arashiyama | Japão   Qualquer caminho leva a toda parte Qualquer caminho leva a toda parte. Qualquer ponto é o centro do infinito. E por isso, qualquer que seja a arte De ir ou ficar, do nosso corpo ou ‘spr’rito, Tudo é ‘stático e morto. Só a ilusão Tem passado e futuro, e nela erramos. Não há ‘strada senão na sensação É só através de nós que caminhamos. Tenhamos p’ra nós mesmos a verdade De aceitar a ilusão como real (...)
28.07.22

Não basta abrir a janela


The Travellight World

Foto: The Travellight World | Convento de Cristo, Tomar Não basta abrir a janela Para ver os campos e o rio. Não é bastante não ser cego Para ver as árvores e as flores. É preciso também não ter filosofia nenhuma. Com filosofia não há árvores: há ideias apenas. Há só cada um de nós, como uma cave. Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora; E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse, Que nunca é o que se vê quando se abre a janela. — Fernando Pessoa —
16.06.22

A Grande Esfinge do Egipto


The Travellight World

Foto: Travellight | A Grande Esfinge, Cairo Recém chegada de uma viagem ao Egito, não resisti a partilhar convosco esta foto e este poema maravilhoso de Fernando Pessoa.   A Grande Esfinge do Egipto sonha por este papel dentro... Escrevo — e ela aparece-me através da minha mão transparente E ao canto do papel erguem-se as pirâmides... Escrevo — perturbo-me de ver o bico da minha pena Ser o perfil do rei Cheops... De repente paro... Escureceu tudo... Caio por um abismo feito de tempo... (...)
02.04.21

Desafio: Equilibrar o mundo


JB

  Neste passo frenético em que anda o mundo, com massacres em Moçambique, Estados Unidos (entre muito outros locais); cemitérios a trabalhar 24 horas no Brasil e uma nuvem de incerteza a pairar sobre as nossas cabeças, a palavra loucura cada vez parece mais estar na ordem no dia. É difícil ter um espírito aberto e positivo perante uma realidade tão avassaladora que todos os dias se impõe no nosso quotidiano. Numa procura de equilíbrio hoje lembrei-me de fazer uma sardinha diferente:   Vamos elevar os nossos espíritos tão sobrecarregados com notícias e confinamentos com  poesia,
13.02.21

Caldeirada Com Todos... “Mariana Almorninho”


sardinhaSemlata

        Aceitei o desafio que me foi lançado pelo Filipe Vaz Correia com muita simpatia e amizade depois de tantos anos a acompanhar o caneca de letras e agora o sardinhas em lata. Apesar de não ter o dom da escrita, o mesmo dom que caracteriza os elementos deste blog, ganhei coragem e optei por recorrer a um grande poeta para traduzir algumas palavras e sentimentos neste espaço.   "Todas as cartas de amor são ridículas" (Álvaro de Campos)   Todas as cartas de amor são ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem ridículas.