Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

17.01.22

Sporting: Um Poema De Amor


Filipe Vaz Correia

      Debaixo daquela janela; Com o rádio colado à orelha Debaixo daquela janela, Chorava, chorei...   Por momentos fui feliz; Noutros momentos desesperei Debaixo daquela janela, Tantas vezes gritei...   De desespero, de olhos fechados; Ajoelhado e de punhos cerrados Tantas e tantas vezes, Debaixo daquela janela...   Naquele quarto; Naquela vida Naqueles momentos que nunca mais voltam, Que nunca mais desaparecem...   Aquela criança: Aqueles sentimentos Aquela verdade, (...)
10.01.22

Não Tenho “Pachorra”…


Filipe Vaz Correia

        Sinceramente não tenho pachorra para negacionistas, tipos espertalhões que descobriram um chip na vacina ou desconfiam que esse preparo na seringa servirá para nos controlar a todos. Uns poderão dizer que estou a radicalizar ou que temos de convencer estas pessoas através do diálogo mas sinceramente não creio... Isto é basicamente a mesma coisa que discutir com terraplanistas, ou seja, impossível de partir de algum ponto em busca de entendimento quando o nível de (...)
08.01.22

Um Veterinário Em Londres


sardinhaSemlata

      Chamo me Tomás e tenho 35 anos. Sou médico veterinário e trabalho em Londres. Fui convidado pelo meu primo JB para escrever um pouco sobre o meu ofício. Gostava de começar por abordar o tema da reprodução canina. O cão como todos vós devem saber, tem sido um grande companheiro do homem desde os tempos mais antigos. Infelizmente devido ao egoísmo humano e através da reprodução o cão tem sido modificado geneticamente de maneira a exibir certas características de (...)
03.01.22

O Menino Que Um Dia Sonhou…


Filipe Vaz Correia

      Era uma vez um menino impregnado de esperança, amarrado aos seus livros, ansiando encontrar naquelas palavras algum conforto para a sua inquieta insatisfação... O seu quarto era poiso de muitos mundos, guardava muitos segredos, muitas vontades, muitos sonhos, fechados por trás da porta que o separava do resto da casa. Os seus avós, velhinhos, não sabiam que dentro daquelas paredes o seu neto podia esvoaçar por locais desconhecidos, encontrar destinos inimagináveis, (...)
27.12.21

Um Bom Ano! Com Humor…


Filipe Vaz Correia

Bom ano novo a todos, assim começa este texto, num singelo e sincero desejo deste que vos escreve... Não vou ocupar este pedaço de escrevinhar com opinião ou assuntos do momento, somente celebrar o dia a dia, esse espaçar maior que é o contar de uma história, o soletrar do bom humor. E ninguém é melhor neste requisito do que um dos meus ídolos maiores... Miguel Falabella.       Assistam que vão se deliciar com um dos momentos mais extraordinários de um contador de (...)