Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

19.10.20

Até Quando?


Filipe Vaz Correia

            Olho da janela de minha casa, depois de um almoço em família, para as copas de árvores que circundam a zona onde vivo... Nessa reflexão existe uma desesperançada esperança maior do que minha alma, centrada nesta mistura de incredulidade que vivemos. Uma incrédula viagem repleta de desconhecido, como esta frase faz mais sentido do que nunca, onde se perdem afectos, descobrimentos, humanos toques escondidos nesse medo pandémico. Com o ressurgir de novos (...)
17.10.20

Caldeirada Com Todos... “Roberto Cupertino”


sardinhaSemlata

          Vai chegando, partindo rosada maresia, fugidia vai caminhando, sorrindo sem perder a alegria sorrateiramente fingindo que a soturna noite, virara dia.   Vai chegando, sem explicar nesse cavalo tornado tempo a memória a desabitar esse rebuliço, contratempo que outrora ousava, ousar pincelando o sentimento.   Vai chegando, nesse mar um cardume de sardinhas sem receio de opinar, escrevinhar o que a alma vai ditando.   Vai chegando a caldeirada em verso ou poesia numa bela (...)
12.10.20

Dom Quixote...


Filipe Vaz Correia

          D. Quixote, de archote, escondendo o chicote, travado na glote, em cada gota de oceano...   palavra ofendida, escondida e ferida na mágoa sentida de verde vestida em mil noites perdidas...   venham, então, os poetas de palavras incertas descrevendo as desertas vontades despertas de um singelo e intenso amor...   porque amar nestes inusitados tempos é um exercício de ousar por entre valentes tormentos de almas que sonham.     Filipe Vaz Correia        
10.10.20

Caldeirada Com Todos... “BC” (A Desconhecida)


sardinhaSemlata

          Serão os amigos para sempre?! Será que uma relação de amizade também deveria ter um término, tal como uma relação amorosa?!   São perguntas que às vezes faço a mim própria…   Ao longo da nossa vida vamos percebendo que nada é para sempre… Uns vêm, outros vão… E não há mal nenhum nisso…. É o que tem de ser… A vida acontece…. Seguem-se caminhos diferentes, dá-se prioridade a outras coisas… Cada um tem a sua vida…   É claro que se pode (...)