Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

09.07.20

Urgente: Responsabilizar para a Saúde


Triptofano!

Cada um de nós no seu trabalho possui pequenos ódios de estimação, situações que nos fazem ter uma alergia assim no sovaco que nos deixa como uma comichão louca, e eu claro não sou diferente.

Um desses pequenos ódios é quando um diabético chega com uma receita de insulina e pede para levantar seis caixas de uma vez porque são grátis. Só que existe uma diferença entre uma coisa ser grátis e uma coisa ser comparticipada a 100% pelo Estado, mesmo que o resultado no fim seja o mesmo, não sair dinheiro do bolso físico do utente.

Quando um utente não paga nada por um medicamento na verdade ele está a pagar pelo mesmo, só que não directamente e sim de forma indirecta com os seus impostos, ele e todos nós que contribuímos para o bolo da saúde. Por isso olhar para um medicamento que fica a preço zero e desvalorizar o mesmo, fazendo stock em casa e não se importando se vai para o lixo caso haja uma mudança de terapêutica, é basicamente estar a cagar de alto no dinheiro dos contribuintes. Porque uma caixa de insulina varia entre os 30 e os 80 euros, havendo quem faça mais do que um tipo de insulina de forma diária.

Falo de insulina mas podia falar de outros medicamentos, que não ficando a preço zero, possuem uma boa comparticipação pelo estado, como antidiabéticos orais, ou medicamentos para o foro psiquiátrico, ou bombas para a função respiratória. Todos estes medicamentos deviam ser melhor geridos por parte do Estado, que permite a dispensa de terapêutica por parte das Farmácias para mais do que um mês, correndo o risco desta ser inutilizada, e por parte dos utentes, que deviam ganhar consciência cívica de que o acesso à medicação é mais do que um direito irrevogável mas sim uma regalia de uma sociedade previdencial.

Mas não é só a gestão de stocks que me deixa mais azedo que um limão, é a irresponsabilidade de determinadas pessoas perante a sua saúde e a economia comunitária, levando a que os gastos em saúde cada vez sejam mais elevados.

Um caso concreto. Utente que fuma e é diagnosticado-lhe o início de um enfisema pulmonar, estando medicado com bomba contendo um medicamento, cujo preço para o Estado é suportável. Utente continua a fumar, mesmo havendo consultas de cessação tabágica e medicação específica para levar uma vida o mais nicotina-free possível, só que o vício é mais forte. Enfisema pulmonar piora e a pessoa passa a ser medicada com uma bomba contendo dois medicamentos, aumentando o encargo para o Estado. Utente mesmo assim continua a fumar, como se não houvesse dia de amanhã, porque You Only Live Once, e o enfisema chega a estado crítico. Utente é medicado com bomba com três medicamentos e passa a fazer diariamente oxigénio, fazendo com que mais dinheiro dos nossos impostos seja gasto de forma desnecessária.

Faz sentido que este tipo de pessoa tenha o mesmo acesso à comparticipação do Estado em termos de medicação do que alguém que nunca fumou ou que tenha tomado as rédeas da sua saúde e deixado de o fazer? É normal que havendo testes rápidos, normalmente usados pelos seguros de saúde, para perceber se alguém continua a ingerir nicotina às colheres cheias, estes não sejam utilizados para determinar o valor que cada indivíduo deve pagar pelo seu tratamento?

Claro que nem tudo é branco ou preto, que existe um ciclo de pobreza-doença bastante condicionante, mas se defendo com unhas e dentes que o acesso à saúde tem de tendencialmente ser mais igualitário, defendo ainda com mais unhas e mais dentes que tem de se responsabilizar as pessoas para a saúde, fazendo perceber que os cuidados de saúde são bens preciosos e que se cada um cuidar de si, há muito dinheiro que poderia ser investido em cuidar de quem infelizmente padece de doenças contra as quais nada pode fazer.

 

1 comentário

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.