Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

sardinhaSemlata

Um espaço de pensamento livre.

16.06.21

Amor a Portugal


Sónia Pereira

O conceito de patriotismo sempre foi algo de difícil compreensão para mim. O que eu sou, enquanto cidadã portuguesa, é uma espécie de soma de todas as partes da minha vivência desde a nascença neste país – a língua, a geografia da minha terra natal, a cultura absorvida, a forma de estar, sentir, a forma de viver do núcleo de pessoas com quem convivi e convivo, ter estudado o que estudei, ter ouvido o que ouvi, ter falado com quem falei, pequenos fragmentos diários que ao longo (...)
09.06.21

Anjos maus


Sónia Pereira

A escola para onde crianças e adolescentes vão diariamente, onde os nossos filhos passam grande parte do dia, é como um microcosmos, um pequeno mundo, uma sociedade com todas as valências e dinâmicas de uma qualquer sociedade atual. Lá, tal e qual como no dia a dia dos adultos, forças são testadas, subjugações são tentadas, limites são cruzados para se perceber até onde é possível ir e regressar impune e incólume. O que qualquer pai tem de perceber é que o seu filho, o (...)
02.06.21

Crónica de uma morte anunciada


Sónia Pereira

Emma wants to live  -  2016 (fotograma do filme)   Não tenho televisão em casa. Quer dizer, tenho televisão (aparelho), mas não tenho acesso a qualquer canal de televisão. E não digo isto com qualquer tipo de sobranceria. Não ver televisão não foi coisa capaz de me transportar para um nível superior de sapiência e erudição. Noitadas a ler Proust no sofá e a ouvir Bach para desenjoar não acontecem por aqui. Se antes me espojava no sofá a fazer zapping e a consumir (...)
26.05.21

Desumanização


Sónia Pereira

  Twitter @CruzRojaEsp   Luna, uma voluntária da Cruz Vermelha, abraça um migrante senegalês acabado de sair do mar, em Ceuta. Um homem desesperado que recebe conforto de uma mulher. Um gesto simples, espontâneo, mas impactante. Para algumas pessoas, aquelas imagens foram uma forma de restaurar a fé na humanidade, nestes tempos conturbados, uma exposição da nossa compaixão e capacidade de empatia pelo próximo. Para outros, aquelas imagens foram geradoras de ódio, desencadearam (...)
19.05.21

A voz dos deuses


Sónia Pereira

Afastada desde cedo da fé num deus tradicional, a fé à qual fui edificando a minha devoção foi a fé nas competências dos outros, a fé em quem detinha o conhecimento. Se um médico me dizia que as coisas eram de uma certa maneira, eu acreditava, pois como poderia eu, não sendo médica, questionar as suas indicações terapêuticas? Em cada área de conhecimento, sempre alicercei a minha fé no conhecimento das pessoas que a estudavam, a treinavam e desenvolviam, pois em mim não (...)